PORTAL BANDA KU - BRASIL E AMÉRICA DO SUL

Google
Onde você encontra a orientação técnica que procura



(c) 2003-2009 - G.Paiva Ass. e Cons. Ltda
Desenho e Atualização: G.Paiva Assessoria
Última atualização: 26.09.2009
Este saite tem o precípuo objeivo de servir a estudantes, robistas e profissionais instaladores de antenas parabólicas espalhados por todo o território brasileiro e sulamericano, transmitindo-lhes conhecimentos técnicos que os capacitem a alinhar suas antenas com os satélites que transmitem sinais na condição free-to-air (FTA). Mesmo os profissionais que atendem as operadoras de serviços DTH têm neste saite uma base de informações para fazê-los capazes de instalarem suas antenas. Toda tentativa de busca de recepção não lícita ou não autorizada de canais codificados, não FTA, não tem como base ensinamentos deste saite que reprova toda espécie de pirataria.
DESONERAÇÃO DE RESPONSABILIDADES POR USO INDEVIDO DE INFORMAÇÕES

A HISTÓRIA DA TVRO NÃO PODE SER PERDIDA, 50 DEPOIS


Na metade da década de 1970, na RWT (Real World Technology), já se falava de  TVRO  - Television Receive-Only.

Naqueles dias, a recepçao de TV via satélite estava reservada às operadoras internacionais INTELSAT  e  Intersputinik , e às companhanias americanas de CATV, introduzidas na era do satélite por empresas tais como Showtime and
HBO, anciosas por entregar sua rogramação premium em tempo real e de alta qualidade a cada operador de cabo em todos os Estados Unidos.

As estações terrestres Intelsat Padrão A usavam antenas de 26 ou mais metros de dâmetro. Os terminais soviéticos (Soviet Orbita) tinham torres de 12 metros de altura para receberem os sinais de satélites de órbita inclinada Molniya. Os head-ends das companhias de cabo americanas necessitavam um antena de, pelo menos, 6 metros de diâmetro,  para proporcionar uma margem de 36 dB acima do limiar (threshold) nas transmissões de programas vindas dos satélites de banda C Satcom e Westar, com os LNBA´s de 120 oK de temperatura de ruído disponíveis na época. Tudo isso, representando um pouco mais do que a média das áreas dos terrenos contíguos de suas instalações podiam acomodar.

Por outro lado, na tradição americana de seus pioneiros, as coisas estavam em efervecência nas suas garagens: emperimentadores, entusiastas, radio-amadores trabalhavam em frontes de micro-ondas e demoduladores de FM e começaram a imaginar que a recepção de sinais de satélites não era difícil de ser alcançada, ou melhor, não estava fora de seus alcances. 
H Paul Shuch tinha projetado conversores de baixo ruído em placas de circuito impresso, em micro-trilhas,  para as faixas de rádio-amador de 2.3, 3.4 e 5.6 GHz e isso foi um pequeno passo adaptá-los para cobrir a banda de descida de 4 GHz dos satélites. Bob Taggart tinha projetado uma antena petalizada, de baixo custo, para recepção de transmissões comutárias de satélites na Banda S. (p align="justify">Em 1977 H. Taylor Howard , nos intervalos de seu trabalho para a NASA JPL , construiu um receptor completo para TV satélite Banda C, utilizando-se de partes padrões de equipamentos para micro-ondas, com um demodulador de FM de 70 MHz. 

Nesse meio tempo, na Inglaterra, o co-fundador da RWT (Real World Technology)
Stephen J. Birkill reservou, também, um tempo extra paralelamente aos seus árduos trabalhos como engenheiro de transmissor da BBC (British Broadcasting Corporation), para construir um sistema experimental para receber, na Inglaterra,   o SITE   ( Satellite Instructional Television Experiment ) transmissões de TV da NASA direcionadas a povoados da India através do satélite geo-estacionário ATS-6, em 860 MHz. Também, à mesma época Arthur C. Clarke o conhecido pai (ele foi uma avô?) das comunicaios geo-estaciorárias tinha uma terminal padrão SITE instalado na sua residência no Sri Lanka, cortesia do Governo da Índia.

Ao longo dos três anos que se seguiram, Birkil estendeu seu sistema para 4 GHz, recebendo imagens de TV dos satélites Intelsat, Raduga, Molnyia e dos novos satélites russos Gorizont em 11 GHz, onde o satélite experimental italiano Sirio e European Space Agengy's OTS e OTS, da Agência Espacial Européia, quando testes de descida estavam sendo realizados Todos esse trabalahos foram feitos com conversores de descida de baixo ruíd de fabricação caseira (LNB´s)e com uma antena que pertenceu à BBC de 2.4 metros.

Em 1978, Bob Cooper, um técnico jornalista de TV a cabo e entusiasta radio-amador operando no exterior, na cidade de Oklahoma, teve notícia das equenas antena de Birkill e convidou-o para a CCOS-78 aconecendo em Oklahoma, uma conferêcnia importante das operadores de TV a cabo e feira comercial de amostra, destinada a transformar-se na primeira renião de TV satélite transmitida às residências. Cooper levou consigo Birkil com Taylor Howard da empresa California e Rod Wheeler da Whitehorse, Yukon, mais tarde a formar a Norsat , Jim Vines, da Paraframe, Bob Beahr, da Hero, Tom Humphries, Royden Freeland da ICM, Oliver Swam e outros pioneiros que auxiliaram a iniciar a evolução da TVRO americana de 1979 a 1982. Na Feira de 1978, Birkill demonstrou a recepção de imagens NTSC limpas, usando uma antena de 3 metros e Wheeler, juntamente com o engenheiro Steve Ritchie, da Satco, apresentaram o seu primeIro protótipo de um receptor de sinais de satélite destinado ao uso doméstico.

A Feira CCOS-78 viu também o primeiro enlance de subida privado de TV satélite quando, com facilidades de TV providenciadas por Dana Atchey III (ACE -- hoje D3 TV) e um sistema de transmissão de subida móvel alugado, com antena de 10 metros, 3 kilowatts, para a faixa de 6 GHz operado pelos participantes da Feira.

As conferências que se seguiram foram realizadas de forma mais direcionadas às operadoras de TV a cabo em todos os Estados Unidos, para incrementar o uso dos satélites domesticos americanos das séries Satcom e Westar.  No caminho para sua casa, vindo da CCOS-78, Steve Birkil encontrou-se, no Canadá, com seu colega, ex-engenheiro da BBC Maurice J Lowelock e eles concordaram em formar a Real-Word Techology (RWT), para projetar sintonizadores, alimentadores e LNA´s e fornecer serviços de assistência técnica para o boom de TV satélite que estava por vir. 

Os dois anos que se seguiram assitiram a um crescimento do intresse pela TVRO. Bob Cooper foi a força motriz, escrevendo numerosos artigos na imprensa eletrônica popular e sendo entrevistado por grandes revistas, incluindo a Play Boy e Time, assim como aparecendo nas redes nacionais de televisão, para demonstrar o potencial de pequenas antenas de TVRO na ecepção de sinais de satélites, para proporcionar multi-canais de entretenimento de alta qualidade nas áreas rurais, onde as residências eram precariamente servidas pela transmissão terrestre de televisão convencional. "Pequenas antenas" ainda significavam 3 metros de diâmetro ou mais, uma vez que os satélites domésticos eram limitados a cerca de 37 dBw de potência de pico de EIRP e os LNAs de banda C e estavam ainda acabando de conseguir uma temperatura de ruído, a mais baixa, de 85o K. Mas, nas áreas rurais e suburbanas, uma antena de 3 ou 4 metros no quintal não seria um grande problema.

A Feira 79 de Oklahoma, coordenada por Cooper (SPTS-79) foi a primeira inteiramente dedicada a satélite, que foi seguida por 3 outras feiras em 1980: em Miami, em janeiro em San José, em julho e em Houston, em novembro. Muito mais inovadores estavam chegando, com receptores (Andy Hatfield da Avcom, Paul Shuch, John Ramsey da Sat-Tec, Clyde Wasburn da Eart Terminals Robert Coleman, David Barker, Norman Gillaspie e, com antenas, Jamie Gowen, da ADM, Bob Taggart, da Chaparral , Bob Luly (inventor da antena tipo guarda-chuva usada na Banda L de telefones móveis satelitais. Com LNA´s, compareceu a Dexcel. Compareceram assim fornecedores de alimentadores, cabeçotes de rastreamento e acessórios. Fornecedores de transmissores profissionais e de TV a cabo estavam então vendo também um novo mercado, como Amplica, Avanek, Microwave Associates, SCI, Anixer, Microdyne, Schientific Atlanta e outros, aos quais foi despertado ativo e efetivo interesse na TVRO.  Steve Birkil, da RWT, enviou uma réplica de seu alimentador original tipo escalar, desenhado para receber sinais polarizados circularmente a 90 graus, para teste com as recepções americanas das transmissões dos satélites soviéticos Molnyia e Gorizont - seus estudos sobre o programa espacial soviético (com Geogg Perry) e o monitoramento das operações de suas órbitas incinadas significavam que eles poderiam ensinar os americanos para onde, no seu céu norte, poderiam apontar as antenas (o ponto oeste quase estacionário da órbita do Molnyia sobre a baia de Hudson, Canada, era a única utilizada pelos russos para distribuição de TV). 

O conceito de alimentador escalar, embora não fosse uma novidade, inspiraram outros - com mais sucesso a Chaparral, a desenvlver seus próprios alimentadores escalares para o mercado doméstico. substituindo as cornetas piramidais retangulares, outrora usadas e liderando naturalmente os projetos de sonda rotativa. Os preços de sistemas de TVRO completos desceram abaixo de US$ 4.000,00 Constitui-se a organização comercial SPACE (desde então suplantada pela SBCA) e os primeiros distribuidores foram se estabelecendo nos Estados Unidos. 

Birkill começou a escrever uma série de artigos para o jornal CATJ de Bob Cooper e, mais tarde, para o Coop's Satellie Digest, cobrindo a tecnologia de TVRO, com explanação sobre tais novidades como conversão em bloco (downconversion) - a maioria dos conversores da época era sintonizáveis, projetos de alimentadores, projetos de LNA (um exemplo prático D-i-Y usava GaAsFETs Plessey), geometria de rastreadores polares (introduzindo o conceito de declinação offset), técnicas de Banda Ku e demoduladores de limiar com extensão. A recepção de satélites internacionais também tinha cobertura nos artigos, na medida em que a surgente indústria americana voltada a TVRO começou a exportar sua tecnologia ao redor do mundo. 

Cinco anos mantiveram em um ligeiro crescimento a indústria de TVRO nos Estados Unidos, com o fechamento de um milhão de antenas de 3 metros em uso. Os programadores de TV a cabo premium começaram a imagiram que os terminais domésticos poderiam ser uma fonte adicional de realizações lucrativas, além de seus negócios normais de TV a cabo. Canais como HBO começaram a ser transmitidos com encriptação de seus sinais com o sistema VideoCipher da GI e, embora existissem tambémm mais de 10 canais livres (não dodificados) presentes nas transmissões, o crescimento da TVRO começou a declinar seriamente. À época, IRDs e sistemas de gerenciamento de assinantes vieram em substituição, e alguns dos mágicos se foram. A TVRO pedeu o seu charme e se tornou um outro braço de um grande negócio. E os Estados Unidos começaram a pensar em termos de um futuro sistema DBS de pequenas antenas.

Em contra-partida, na Europa, as coisas estavam justamente começando. Por volta de 1982, Steve J. Birkill terminou sua carreira na BBC - na ocasião ele era Gerente de Transmissão em Holme Moss/Complexo de Estação de TV de alta potência, no norte da InGlaterra e começou a dedicar tempo integral na RWT e em negócios de satélites.


Onde eles estariam agora?

Bob Cooper, após um período no Caribe, mudou-se para a Nova Zelândia, onde ele agora edita SatFACTS mensalmente. Sua página pode ser visitada aqui.

H Taylor Howard era um professor na Stanford University e CTO de Chaparral,  cujo CEO é Bob Taggart.

Maurice Lovelock está com Rogers Cable Television, em Mississauga, Ontario.

Norman Gillaspie é president da North California International Teleport,  transmitindo notícias Usenet diretamente via satellite para ISPs na America do Norte e Europa.

Paul Such é Diretor Executivo do SETI,  varrendo os céus para Intelligence BBC Transmitter Group, agora Transmission, foi vendida para Castle Transmission Services, um consórcio liderado por Castle Tower Corporation, do Texas
Stephen J Birkill é Diretor Superintendente da RWT

Arthur C. Clarke  estava morando em Columbo, Sri Lanka, trabalhando duramente em seus numerosos projetos, já tendo falecido, como se pode ler aqui.


Leitura adicional:

International Satellite TV Reception Guidebook, S J Birkill, STTI 1982

Coop's Satellite Digest, 5th Anniversary Issue, Robert B Cooper, October 1984

How the World was One, Arthur C Clarke, Gollancz 1992

The World of Satellite TV (Asian Edition), Mark Long, MLE 1995

Copyright © 1996, 97, Real-World Technology Ltd.

Tradução e adaptação para o português por Geraldo Loures dos Santos de Paiva